terça-feira, 29 de abril de 2014

A Missa é chata e repetitiva? Engano seu…


A Missa é o céu na terra, ao participarmos dela temos verdadeiro acesso aos mistérios celestiais


Muitos falam da Santa Missa, em geral como um evento repetitivo e monótono. Primeiramente, é necessário deixar bem claro que a Missa não é um momento de entretenimento. Não é uma atração cultural ou a celebração de uma festa. Muito pelo contrário, durante a Santa Missa são travadas grandes batalhas espirituais que vão muito além de repetidos e rotineiros rituais.
Outro ponto que quero esclarecer, antes de entrar no tema, é que a maioria das pessoas que falam sobre a monotonia da Missa são católicos por profissão de fé, ou seja, muitos católicos ainda não tem a real dimensão do que é a Santa Missa, passam a vida toda só vendo a superfície, em vez de se aprofundarem em seus mistérios.

Nesse ponto é bom observar a negligência de alguns sacerdotes em não passar ao público o real valor da Eucaristia e da Liturgia. Confesso que já participei de uma Missa que durou em torno de meia hora, eu fiquei abismado, pois o padre parecia mais um locutor do Jóquei Clube do que um sacerdote no Altar.
Sabe porque você acha a Santa Missa chata? PORQUE VOCÊ É MUITO CHATO NA MISSA!!!photoshop cs3


Para nós Católicos, podemos dizer que toda nossa Fé se resume principalmente ao Milagre da Celebração Eucarística, e nela encontramos toda resposta, todo milagre, toda cura, todo sinal e santidade que buscamos. Mas infelizmente, alguns irmãos que até julgam professar a Fé Católica costumam cometer um grande erro ao tentar responder porque não participam da Igreja ou sequer vão a Missa como deveriam. Alguns argumentam: "A Missa na minha Paróquia é chata". Se você que está lendo este texto, não se encaixa neste perfil, ótimo... mas se você ao ler isso pensou: "Nossa, ele está falando da minha Paróquia" eu digo a você que não, não falei de sua Paróquia, se você acha que a Missa na sua Paróquia é chata, então estou falando de você e para você. 

Sabe porque você acha a Santa Missa chata? PORQUE VOCÊ É MUITO CHATO NA MISSA!!! São muitas as pessoas que encontram desculpas e culpados para não participar da Igreja, e chegam ao cumulo de dizer que a Maior Riqueza que temos na Igreja é simplesmente chata, talvez porque a música não lhe agrada, ou o a Homilia do Padre o incomoda, ou quem sabe o calor da Igreja, ou as pessoas que frequentam a Igreja não lhe agradam, ou até mesmo o próprio ambiente lhe é incomodo. São pessoas que vão a Missa por obrigação e não prazer, fingem abraçar uma Fé muito mais por medo do inferno do que por Amor ao Céu, olham o tempo todo para o relógio, se dispersam com qualquer coisa, o tempo todo reparando nas atitudes das outras pessoas, ficam irritados se a Homilia demora um pouco mais que o normal e vão a loucura com os avisos ou teatros no final da Missa, ou seja, a pessoa viu tudo, menos Jesus presente na Eucaristia e depois diz que a Missa é que é chata... FAÇA-ME O FAVOR HEIN! O pior de tudo, é que são essas pessoas que depois começam a passar dificuldades, e vão "buscar" Deus em outros lugares onde oferecem respostas imediatas e milagres a troco de dinheiro, e saem felizes dizendo que lá sim encontraram a Deus... triste isso, já que Deus é Onipresente, mas em nossa Igreja bate o coração de um Jesus Eucarístico e quando Ele se faz presente no Santíssimo Sacramento, muito não o enxergam, ou simplesmente fazem pouco caso de sua presença. A Missa deixará de ser chata, para aqueles que deixarem de ser chatos para ela e buscar participar plenamente da Liturgia, deixar-se envolver pelo momento Sagrado da Comunhão. Toda Missa Cura, toda Missa é milagrosa, toda Missa liberta...desde que nossa Fé se rende a tudo isso! Volto a dizer meus amigos, quando alguém disser que a Missa é chata, de um modo bem terno e sereno diga para ela que isso só vai mudar quando ela deixar de ser chata na MissaDescrição: photoshop cs3

Missa é a representação terrena do banquete de núpcias do Cordeiro de Deus. De todas as coisas católicas, não há nada tão familiar quanto a missa. Com suas orações, hinos e gestos sempiternos, a missa é como um lar para o Cristão. Poucas pessoas percebem o drama sobrenatural inserido na vivência de uma liturgia dominical.
O Papa João Paulo II chamou a missa de “… o céu na terra…”, ele explicou que “… a liturgia que celebramos na terra é misteriosa participação no céu…”. Nós vamos ao céu quando vamos à missa, a isso diz respeito a toda missa, independente da qualidade da música ou do fervor da homilia. A missa é o céu na terra.

Desde os escritos dos primeiros cristãos, existem referências à Liturgia, à Eucaristia e ao Sacrifício. O Concílio Vaticano II, na Constituirão sobre a Sagrada Liturgia, declara:
“Na liturgia terrena participamos da liturgia celeste, que se celebra na cidade santa de Jerusalém, para a qual, peregrinos, nos encaminhamos. Lá, Cristo está sentado à direita de Deus, ministro do santuário e do tabernáculo verdadeiro; com toda a milícia do exército celestial entoamos um hino de glória ao Senhor e, venerando a memória dos santos, esperamos fazer parte da sociedade deles; suspiramos pelo Salvador, Nosso Senhor Jesus Cristo, até que ele, nossa vida, se manifeste, e nós apareçamos com ele na glória.”

Este é o verdadeiro céu, este é o verdadeiro acesso, a Santa Missa.

Fonte: Compartilhando a Graça




Sobre teólogos e lobos: desmascarando os sites rad-trads


A essência do pensamento TL e modernista é a interpretação torta do Concílio Vaticano II. Todos os documentos são distorcidos para que os TLs e modernistas possam difundir suas idéias heréticas e dizer “ah, mas nos baseamos no Vaticano II, olhem só”. No pensamento modernista/TL, o Vaticano II passou a ensinar uma nova doutrina, e por isso todo o ensinamento da Igreja em 19 séculos pode ser jogado para escanteio.

E, assim, quando os modernistas/TLs proclamam a “nova doutrina do Vaticano II”, os bons católicos não acreditam; os bons padres não acreditam; o Vaticano não acredita; só quem acredita (além, obviamente, dos modernistas/TLs) são... os rad-trads. Como podem grupos aparentemente tão antagônicos se darem as mãos desse jeito?

Na verdade, eles não são tão antagônicos assim: na raiz de ambos os grupos está a interpretação torta do Vaticano II, a convicção de que o concílio se afastou do que a Igreja sempre ensinou, e a contestação à Hierarquia e a tudo (ou quase) que vem de Roma.

A tragédia dos rad-trads é que eles precisam dos TLs/modernistas para atingir seu objetivo. Quando um TL faz uma interpretação errada do Vaticano II, o rad-trad se aproveita disso para mostrar ao mundo que “o Vaticano II ensina o erro – vejam só o que esse modernista diz!”, esbravejam online. Ou seja, o rad-trad imputa ao Vaticano II o que o TL afirma, erradamente, sobre o Concílio.

Ora bolas, vejamos a seguinte situação:

Fulano afirma “A”
Sicrano distorce as afirmações e diz “Fulano afirmou B”
Beltrano ouve Sicrano e repete “Fulano afirmou B”

Vamos transferir esta situação para a vida da Igreja

O Vaticano II ensina a doutrina perene e imutável da Igreja.
TLs e modernistas distorcem o Concílio e dizem que o Vaticano II ensinou uma doutrina diferente daquela que a Igreja sempre proclamou.
Rad-trads ouvem os TLs e modernistas e repetem que que o Vaticano II ensinou uma doutrina diferente daquela que a Igreja sempre proclamou.

Não é muito difícil ver quem está errado nesta situação.

Na verdade, a situação é ainda mais grave, porque se torna uma calúnia contra a Igreja. Os rad-trads, ao atribuir ao Vaticano II ensinamentos que o Concílio não proclamou, acusam o Vaticano II de heresia, quando a heresia não está no Vaticano II, e sim nas interpretações erradas que os TLs e modernistas fazem do Concílio!

A respeito disso, vamos ver o que Bento XVI afirma num discurso à Cúria Romana em dezembro de 2005. Curiosamente, os rad-trads adoram este discurso. Logo veremos por que digo “curiosamente”. O trecho é um pouco longo, mas vale muito a pena:

“Surge a pergunta: por que a recepção do Concílio, em grandes partes da Igreja, até agora teve lugar de modo tão difícil? Pois bem, tudo depende da justa interpretação do Concílio ou como diríamos hoje da sua correcta hermenêutica, da justa chave de leitura e de aplicação. Os problemas da recepção derivaram do facto de que duas hermenêuticas contrárias se embateram e disputaram entre si. Uma causou confusão, a outra, silenciosamente mas de modo cada vez mais visível, produziu e produz frutos. Por um lado, existe uma interpretação que gostaria de definir "hermenêutica da descontinuidade e da ruptura"; não raro, ela pôde valer-se da simpatia dos mass media e também de uma parte da teologia moderna. Por outro lado, há a "hermenêutica da reforma", da renovação na continuidade do único sujeito-Igreja, que o Senhor nos concedeu; é um sujeito que cresce no tempo e se desenvolve, permanecendo porém sempre o mesmo, único sujeito do Povo de Deus a caminho. A hermenêutica da descontinuidade corre o risco de terminar numa ruptura entre a Igreja pré-conciliar e a Igreja pós-conciliar. Ela afirma que os textos do Concílio como tais ainda não seriam a verdadeira expressão do espírito do Concílio.
Seriam o resultado de compromissos em que, para alcançar a unanimidade, foi necessário arrastar atrás de si e confirmar muitas coisas antigas, já inúteis. Contudo, não é nestes compromissos que se revelaria o verdadeiro espírito do Concílio mas, ao contrário, nos impulsos rumo ao novo, subjacentes aos textos: somente eles representariam o verdadeiro espírito do Concílio, e partindo deles e em conformidade com eles, seria necessário progredir. Precisamente porque os textos reflectiriam apenas de modo imperfeito o verdadeiro espírito do Concílio e a sua novidade, seria preciso ir corajosamente para além dos textos, deixando espaço à novidade em que se expressaria a intenção mais profunda, embora ainda indistinta, do Concílio. Em síntese: seria necessário seguir não os textos do Concílio, mas o seu espírito. Deste modo, obviamente, permanece uma vasta margem para a pergunta sobre o modo como, então, se define este espírito e, por conseguinte, se concede espaço a toda a inconstância. Assim, porém, confunde-se na origem a natureza de um Concílio como tal. Deste modo, ele é considerado como uma espécie de Constituinte, que elimina uma constituição velha e cria outra nova. Mas a Constituinte tem necessidade de um mandante e, depois, de uma confirmação por parte do mandante, ou seja, do povo ao qual a constituição deve servir.
Os Padres não tinham tal mandato e ninguém lhos tinha dado; ninguém, afinal, podia dá-lo porque a constituição essencial da Igreja vem do Senhor e nos foi dada para que pudéssemos chegar à vida eterna e, partindo desta perspectiva, conseguimos iluminar também a vida no tempo e o próprio tempo. (...)
À hermenêutica da descontinuidade opõe-se a hermenêutica da reforma, como antes as apresentou o Papa João XXIII no seu discurso de abertura do Concílio em 11 de Outubro de 1962 e, posteriormente o Papa Paulo VI no discurso de encerramento a 7 de Dezembro de 1965. Desejo citar aqui somente as palavras tão conhecidas de João XXIII, nas quais esta hermenêutica é expressa inequivocavelmente quando diz que o Concílio "quer transmitir a doutrina pura e íntegra sem atenuações nem desvios" e continua: "O nosso dever não é somente guardar este tesouro precioso, como se nos preocupássemos unicamente pela antiguidade, mas dedicar-nos com diligente vontade e sem temor a esta obra, que a nossa época exige... É necessário que esta doutrina certa e imutável, que deve ser fielmente respeitada, seja aprofundada e apresentada de modo que corresponda às exigências do nosso tempo. De facto, uma coisa é o depósito da fé, isto é, as verdades contidas na nossa veneranda doutrina, e outra coisa é o modo com o qual elas são enunciadas, conservando nelas, porém, o mesmo sentido e o mesmo resultado" (S. Oec. Conc. Vat. II Constitutiones Decreta Declarationes, 1974, pp. 863-865).


Pois bem, Bento XVI contrapõe no texto duas maneiras diferentes de ver o Vaticano II; existe a “hermenêutica da descontinuidade e da ruptura”, que cria um contraste entre Igreja pré- e pós-conciliar, como se o Vaticano II tivesse anulado tudo que veio antes. Mais ainda: que seria preciso seguir não os textos do Concílio, mas um certo “espírito” do Concílio. Esse é justamente o modo como os TLs e modernistas vêem o Vaticano II. E é a forma como os rad-trads também vêem o Concílio (exceto no ponto segundo o qual “o que vale” agora é o novo).

Mas também existe a “hermenêutica da reforma”, que vê o Vaticano II em união com toda a história da Igreja. E, segundo Bento XVI, este é o modo correto de ver o Concílio. O que os TLs chamam de “espírito do Concílio” pode até ser “espírito”, mas de porco, de Satanás; não do Concílio. É como se o Papa dissesse: querem saber o que a Igreja realmente disse no Vaticano II? Então vão ao texto, e não a interpretações tresloucadas.

Conseqüência: a “hermenêutica da descontinuidade e da ruptura” está errada. Os TLs/modernistas estão errados. Os rad-trads estão errados. Por isso é curioso que os rad-trads gostem tanto desse discurso e usem-no para atacar o Concílio. Mas eles não leram direito. O Papa não está criticando o Vaticano II, pelo contrário: está reafirmando sua validade e união com todo o ensinamento da Igreja!

Quando, enfim, todo católico ler o Vaticano II do modo como deve ser lido, sem interpretações modernistas, os rad-trads estarão em um mato sem cachorro: não terão mais a quem citar para justificar seus ataques ao Concílio, e definharão por falta de “comida” (ou lavagem, use o que achar melhor). Será um dia glorioso para a Igreja de Cristo, ao ver derrotados dois inimigos ao mesmo tempo.



Fonte: veritatis

segunda-feira, 28 de abril de 2014

A Morte da Sola Scriptura.




Onde está na Bíblia?

Bem meus irmãos Católicos, quantas vezes vocês escutaram esse tipo de heresia protestante? (onde está na Bíblia); Essa pergunta é totalmente herética e foi inspirada por satanás para o uso protestante contra a Santa Tradição e o Santo Magistério da Igreja Católica.
Primeiramente devemos entender o real significado dessa heresia; (Sola Scriptura); ela consiste em acreditar apenas no que está escrito no Cânon Bíblico, tudo tem que se basear na Bíblia, sendo assim, nada dentro da doutrina Cristã pode ser relacionado com o que não esteja escrito na Bíblia Sagrada.
Mas será que isso funciona?
Existe uma grande diferença entre (Cristianismo) e a (Sola Scriptura).

  • Cristianismo é a Religião da Palavra.
  • Sola Scriptura é o conceito da Religião do Livro.
Agora eu irei mostrar a diferença entre Cristianismo e Sola Scriptura.



Vendo o quadro de diferenças entre (Cristianismo) e (Sola Scriptura), deu para perceber que essa heresia é totalmente Ant-Biblica, ou seja, nem a Bíblia sustenta que ela seja a única fonte de fé para um Cristão.
Agora eu irei provar pela própria Bíblia que Jamais essa doutrina de satanás perambulou entre os conceitos doutrinais, proféticos ou apostólicos. “Lembrando que ninguém aqui está duvidando da inspiração divina nas Sagradas Escritura”; Apenas que ser (útil) e inspirado não tem nada a ver com ser (único).
Partiremos agora aos Profetas do (AT), será que eles usavam a Sola Heresia de satanás (Sola Scriptura) como fonte única de fé? Vamos  relatar o caso de Josué, líder do povo Hebreu depois de Moises, ele era um grande homem de Deus e sucessor de Moises, praticante das Leis Mosaicas! Sendo assim, se Josué fosse adepto dessa heresia de satanás chamada (Sola Scriptura) jamais poderia relatar um fato que não constava nas Escrituras Sagradas; Escrituras que na época era o Pentateuco.
Esse é o relato de Josué:
“E Josué disse a todo o povo: Eis o que DIZ o Senhor, Deus de Israel: outrora, vossos ancestrais, Taré, pai de Abraão e de Nacor, habitavam além do rio e serviam a deuses estrangeiros.(Josué capítulo 24 verso 2, Bíblia versão Ave Maria)
Bem, Josué era sucessor de Moises e seguidor do Pentateuco, parece-me que ele se utilizou de uma informação que não estava escrito no Pentateuco! Pois em nenhum momento no livro de Gêneses faz tal afirmação de que (TARÈ) pai de Abraão descendente de (NOÈ) haveria prestado culto a um deus estrangeiro. Parece-me que a SOLA de Josué não era tão SOLA assim.
Vamos agora partir para o livro de um dos maiores Profetas de Israel, vamos ler um texto do livro de Ezequiel:
“Ainda que houvesse nessa terra Noé, Daniel e , esses três homens só salvariam a si próprios, devido à sua justiça - oráculo do Senhor Javé.” (Ezequiel capítulo 14 verso 14, Bíblia versão Ave Maria
Podemos observar nesse texto, o Profeta Ezequiel citando o nome de 3 homens justo perante a justiça divina; (NOÈ) todos nós sabemos quem era esse personagem, () também sempre foi um personagem bem conhecido, e (DANIEL)? Será que esses hereges protestantes acreditam que ele se referia ao Profeta Daniel que nessa época era muito mais jovem que Ezequiel e nem imaginava que seria um grande Profeta do AT? Mas retirando os surtos protestantes, esse Daniel era só um personagem heróico da tradição Hebraica, segundo a tradição, esse personagem se encontrava em alguns poemas fenício. Parece-me que a SOLA de Ezequiel não era tão SOLA assim.


Bem, podemos observar que no (AT) a Sola Scriptura era coisa de lunáticos.
Eu vou passar agora para o (NT), será que Jesus Cristo e os Apóstolos seguiam essa heresia desgraçada chamada SOLA SCRIPTURA?   
Alguns sites protestantes produzidos por alguns lunáticos dizem que no (NT) era usado apenas o que (Estava Escrito) no (AT); Será que realmente isso é verdade? Lógico que não; esses lunáticos apenas omitem onde diz que se pregavam tradição oral além da escrita.
Vou dar um exemplo clássico; em um só versículo Bíblico podemos observar Jesus Cristo pregando uma tradição (ESCRITA) e uma tradição (ORAL).
“Tendes ouvido o que foi dito: Amarás o teu próximo e poderás odiar teu inimigo.” (Mateus capítulo 5 verso 43, Bíblia versão Ave Maria) 
Amar teu próximo tudo bem estava escrito no Antigo Testamento (Levítico 19-18); e essa de (poderá odiar seus inimigos), onde estava escrito mesmo? Em nenhum lugar; por isso Nosso Senhor diz (ouvistes o que fora DITO). Sendo assim, Nosso Senhor Jesus Cristo jamais foi adepto dessa desgraça chamada SOLA SCRIPTURA.
  • Amaras teu próximo (tradição escrita).
  • Odiar seus inimigos (tradição oral). 
Mas poderá vir um herege e tentar refutar com outras alucinações do tipo: (Jesus Cristo sendo o Verbo encarnado poderia usar tradição oral, mas os Apóstolos só seguiam a SOLA SCRIPITURA), então eu mostrarei que os Apóstolos também não eram adeptos dessa heresia.
E veio habitar na cidade de Nazaré para que se cumprisse o que foi dito pelos profetas: Será chamado Nazareno.” (Mateus capítulo 2 verso 23, Bíblia versão Ave Maria)
No Evangelho segundo Mateus foi citado uma profecia (DITA PELOS PROFETAS), “Ele será chamado nazareno”; o mais estranho é que não há nenhum livro do (AT) seja ele canônico ou apócrifo transmitindo tal profecia.
Bem, para Jesus Cristo e São Mateus a SOLA não era tão SOLA assim, eles também seguiam o as tradições orais.


Agora eu vou passar para o livro de (ATOS).
“Em tudo vos tenho mostrado que assim, trabalhando, convém acudir os fracos e lembrar-se das palavras do Senhor Jesus, porquanto ele mesmo disse: É maior felicidade dar que receber!” (Atos dos Apóstolos capítulo 20 verso 35, Bíblia versão Ave Maria)
Nesse capítulo do livro de Atos, podemos perceber São Lucas citando uma pregação de São Paulo segundo um ensinamento de Jesus Cristo (È maior felicidade dar que receber), lembrando que São Lucas já era de uma terceira geração de discípulos e seu Evangelho foi concluído em cima da tradição oral, mesmo assim, ele cita um ensinamento de Jesus que não consta em nenhum dos Evangelhos Canônicos, nem em seu próprio Evangelho, estranho, pois SOLA SCRIPTURA é SOLA SCRIPTURA não tem espaço para nada que não tenha sido escrito e segundo os protestantes, pregar outro Evangelho seria anátema! Será que São Lucas era anátema? Lógico que não; para se entender devemos prestar a atenção no que São Lucas cita diz: (lembre-se das palavras do Senhor Jesus), para quem estuda sabe que essas palavras de Jesus saíram de uma fonte chamada (conjunto de palavra de Jesus) transmitida pelos Apóstolos e usados pelos autores dos Evangelhos. Ou seja, tradição oral.
Continuando com o livro de Atos, podemos ler:
“Faz algum tempo apareceu um certo Teudas, que se considerava um grande homem. A ele se associaram cerca de quatrocentos homens: foi morto e todos os seus partidários foram dispersados e reduzidos a nada. Depois deste, levantou-se Judas, o galileu, nos dias do recenseamento, e arrastou o povo consigo, mas também ele pereceu e todos quantos o seguiam foram dispersados.” (Atos dos Apóstolos capítulo 5 versos 36-37, Bíblia versão Ave Maria)    
Meus irmãos, quem foi (Teudas) e quem foi (Judas Galileu)? Qual o livro que narra a historia desses dois personagens? Será que no próprio Evangelho de Lucas é narrada alguma coisa sobre Judas Galileu durante o recenseamento? Eu nunca li nada sobre esse tal Judas Galileu nos Evangelhos, parece-me que São Lucas não era muito a favor da SOLA!
Eu irei partir agora para as cartas Paulinas:
 “Como Janes e Jambres resistiram a Moisés, assim também estes homens de coração pervertido, reprovados na fé, tentam resistir à verdade.” (II Timótio capítulo 3 verso 8, Bíblia versão Ave Maria)
Quem foi (JANES) e quem foi (JAMBRES)? Algum protestante pode me citar o capítulo e versículo do Pentateuco onde cita esses dois personagens? Se não foi escrito é sinal que foi transmitido oralmente por séculos, parece que São Paulo também não era adepto dessa desgraça chamada SOLA SCRIPTURE.
Eu irei agora pegar as cartas Católicas:
“Ora, quando o arcanjo Miguel discutia com o demônio e lhe disputava o corpo de Moisés, não ousou fulminar contra ele uma sentença de execração, mas disse somente: Que o próprio Senhor te repreenda!” (Judas capítulo 1 verso 9, Bíblia versão Ave Maria)
Já imaginaram se tivesse algum protestante no meio dos Cristãos no momento que São Judas pregava esse fato sobre o corpo de Moises? Na hora esse protestante levantaria com sua Bíblia (que não existia na época) e começaria a questionar São Judas perguntando:
ONDE ESTÁ na Bíblia (AT) que o corpo de Moises foi disputado pelo Anjo e o demônio?
Bem, São Judá também cita uma profecia de Henoc.
“Também Henoc, que foi o oitavo patriarca depois de Adão, profetizou a respeito deles, dizendo: Eis que veio o Senhor entre milhares de seus santos.” (Judas capítulo 1 verso 14, Bíblia versão Ave Maria)
Meus irmãos Católicos, Desde quanto (Henoc) deixou um livro escrito? Existia escrita na época de (Henoc)?
Parece que a SOLA de São Judas também não era tão SOLA assim. 
Agora eu pergunto para esses hereges, alguma vez seus pastores pregaram tais textos Bíblicos em seus cultos? SOLA SCRIPTURA é SOLA SCRIPTURA, tudo tem que estar escrito, nada pode ser retirado fora do que está em tal conjunto de livros e pelo que me parece os Apóstolos usavam fontes fora das Escrituras, sinal de que eles não eram adeptos dessa desgraça chamada SOLA SCRIPTURA.
Observem como os protestantes são mestres em transformar uma GRAÇA em DESGRAÇA. 
Escrituras = graça.
Só as Escrituras = desgraça.
Vamos analisar os argumentos desses rebelados para tentar defender a heresia da SOLA SCRIPTURA.
“E desde a infância conheces as Sagradas Escrituras e sabes que elas têm o condão de te proporcionar a sabedoria que conduz à salvação, pela fé em Jesus Cristo.Toda a Escritura é inspirada por Deus, e útil para ensinar, para repreender, para corrigir e para formar na justiça. Por ela, o homem de Deus se torna perfeito, capacitado para toda boa obra.” (II Timótio capítulo 3 versos 15-16-17, Bíblia versão Ave Maria)
Até parece que esses protestantes são humoristas, o que tem a ver ser inspirado com ser única fonte de fé? Como eu coloquei na introdução do tópico, jamais um Católico irá questionar a inspiração Divina de qualquer Escritura, seja ela canônica ou até escritos dos Padres da Igreja, tanto é verdade que fazemos (3) leituras diárias do Cânon Bíblico, o questionamento não está na inspiração das escrituras e sim em elas serem a única fonte de fé Cristã, ainda mais sabendo que essas Escrituras citadas por São Paulo não tinha nada a ver com Cânon Bíblico.
Observem que São Paulo diz que (TODA) Escritura é inspirada por Deus, por acaso ele citou algum Cânon? Alguma quantidade de livros? Nomes de tais livros? Claro que não; pois o (NT) estava em desenvolvimento ainda e o (AT) não possuía um Cânon e sim uma biblioteca com milhares de livros, eu vou mostrar o que eram Escrituras na época que São Paulo escreveu a carta para Timótio. 
Além do que nós conhecemos como (AT) para os Hebreus isso tudo eram Escrituras:
01 - Apocalipse de Adão.
02 - Apocalipse de Baruc.
03 - Apocalipse de Moisés.
04 - Apocalipse de Sidrac.
05 - As Três Estelas de Seth.
06 - Ascensão de Isaías.
07 - Assunção de Moisés.
08 - Caverna dos Tesouros.
09 - Epístola de Aristéas.
10 - Livro dos Jubileus.
11 - Martírio de Isaías.
12 - Oráculos Sibilinos.
13 - Prece de Manasses.
14 - Primeiro Livro de Adão e Eva.
15 - Primeiro Livro de Enoque.
16 - Primeiro Livro de Esdras.
17 - Quarto Livro dos Macabeus.
18 - Revelação de Esdras.
19 - Salmo 151.
20 - Salmos de Salomão (ou Odes de Salomão).
21 - Segundo Livro de Adão e Eva.
22 - Segundo Livro de Enoque (ou Livro dos Segredos de Enoque).
23 - Segundo Livro de Esdras (ou Quarto Livro de Esdras).
24 - Segundo Tratado do Grande Seth.
25 - Terceiro Livro dos Macabeus.
26 - Testamento de Abraão.
27 - Testamento dos Doze Patriarcas.
28 - Vida de Adão e Eva.

Sem contar estes outros cuja existência sequer saberíamos se não fossem as descobertas do Mar Morto. Pior ainda é que sabemos que muitos outros foram queimados pelos beduínos:

01 - A Nova Jerusalém (5Q15)
02 - A Sedutora (4Q184)
03 - Antologia Messiânica (4Q175)
04 - Bênção de Jacó (4QPBl)
05 - Bênçãos (1QSb)
06 - Cânticos do Sábio (4Q510-4Q511)
07 - Cânticos para o Holocausto do Sábado (4Q400-4Q407/11Q5-11Q6)
08 - Comentários sobre a Lei (4Q159/4Q513-4Q514)
09 - Comentários sobre Habacuc (1QpHab)
10 - Comentários sobre Isaías (4Q161-4Q164)
11 - Comentários sobre Miquéias (1Q14)
12 - Comentários sobre Naum (4Q169)
13 - Comentários sobre Oséias (4Q166-4Q167)
14 - Comentários sobre Salmos (4Q171/4Q173)
15 - Consolações (4Q176)
16 - Eras da Criação (4Q180)
17 - Escritos do Pseudo-Daniel (4QpsDan/4Q246)
18 - Exortação para Busca da Sabedoria (4Q185)
19 - Gênese Apócrifo (1QapGen)
20 - Hinos de Ação de Graças (1QH)
21 - Horóscopos (4Q186/4QMessAr)
22 - Lamentações (4Q179/4Q501)
23 - Maldições de Satanás e seus Partidários (4Q286-4Q287/4Q280-4Q282)
24 - Melquisedec, o Príncipe Celeste (11QMelq)
25 - O Triunfo da Retidão (1Q27)
26 - Oração Litúrgica (1Q34/1Q34bis)
27 - Orações Diárias (4Q503)
28 - Orações para as Festividades (4Q507-4Q509)
29 - Os Iníqüos e os Santos (4Q181)
30 - Os Últimos Dias (4Q174)
31 - Palavras das Luzes Celestes (4Q504)
32 - Palavras de Moisés (1Q22)
33 - Pergaminho de Cobre (3Q15)
34 - Pergaminho do Templo (11QT)
35 - Prece de Nabonidus (4QprNab)
36 - Preceito da Guerra (1QM/4QM)
37 - Preceito de Damasco (CD)
38 - Preceito do Messianismo (1QSa)
39 - Regra da Comunidade (1QS)
40 - Rito de Purificação (4Q512)
41 - Salmos Apócrifos (11QPsa)
42 - Samuel Apócrifo (4Q160)
43 - Testamento de Amran (4QAm)

Essas eram as Escrituras que São Paulo citava, provas disso é que vários desses livros são citados pelos autores do (AT) e pelos Apóstolos no (NT), logicamente esses são os livros que temos conhecimento, pois vários livros foram totalmente perdidos. 
Os protestantes que acreditam ser uma Bíblia de (66) livros as Escrituras Inspiradas, eu vou mostrar o que era o (NT) até o século (IV).
Apocalipse da Virgem - Apocalipse de João o Teólogo - Apocalipse de Paulo - Apocalipse de Pedro - Apocalipse de Tomé - Atos de André - Atos de André e Mateus - Atos de Barnabé - Atos de Filipe - Atos de João - Atos de João o Teólogo - Atos de Paulo - Atos de Paulo e Tecla - Atos de Pedro - Atos de Pedro e André - tos de Pedro e Paulo - Atos de Pedro e os Doze Apóstolos - Atos de Tadeu - Atos de Tomé - Consumação de Tomé - Correspondência entre Paulo e Sêneca - eclaração de José de Arimatéia - Descida de Cristo ao Inferno - Discurso de Domingo - Ditos de Jesus ao rei Abgaro - Ensinamentos de Silvano - Ensinamentos do Apóstolo Tadeu - Ensinamentos dos Apóstolos - Epístola aos Laodicenses - Epístola de Herodes a Pôncio Pilatos - Epístola de Jesus ao rei Abgaro (2 versões) - Epístola de Pedro a Filipe - Epístola de Pôncio Pilatos a Herodes - Epístola de Pôncio Pilatos ao Imperador - Epístola de Tibério a Pôncio Pilatos - Epístola do rei Abgaro a Jesus - Epístola dos Apóstolos - Eugnostos, o Bem-Aventurado -Evangelho Apócrifo de João - Evangelho Apócrifo de Tiago - Evangelho Árabe de Infância - Evangelho Armênio de Infância (fragmentos) - Evangelho da Verdade - Evangelho de Bartolomeu -* Evangelho de Filipe - Evangelho de Marcião - Evangelho de Maria Madalena (ou Evangelho de Maria de Betânia) - Evangelho de Matias (ou Tradições de Matias) - Evangelho de Nicodemos (ou Atos de Pilatos) - Evangelho de Pedro - Evangelho de Tome o Gêmeo (Dídimo) - Evangelho do Pseudo-Mateus - Evangelho do Pseudo-Tomé - Evangelho dos Ebionitas (ou Evangelho dos Doze Apóstolos) - Evangelho dos Egípcios - Evangelho dos Hebreus - Evangelho Secreto de Marcos - Exegese sobre a Alma - Exposições Valentinianas - (Fragmentos Evangélicos Conservados em Papiros) - (Fragmentos Evangélicos de Textos Coptas) - História de José o Carpinteiro - Infância do Salvador - Julgamento de Pôncio Pilatos - Livro de João o Teólogo sobre a Assunção da Virgem Maria - Martírio de André - Martírio de Bartolomeu - Martírio de Mateus - Morte de Pôncio Pilatos - Natividade de Maria - O Pensamento de Norea - O Testemunho da Verdade - O Trovão, Mente Perfeita - Passagem da Bem-Aventurada Virgem Maria - "Pistris Sophia" (fragmentos) - Prece de Ação de Graças - Prece do Apóstolo Paulo - Primeiro Apocalipse de Tiago - Proto-Evangelho de Tiago - Retrato de Jesus - Retrato do Salvador - Revelação de Estevão - Revelação de Paulo - Revelação de Pedro - Sabedoria de Jesus Cristo - Segundo Apocalipse de Tiago - Sentença de Pôncio Pilatos contra Jesus - Sobre a Origem do Mundo - Testemunho sobre o Oitavo e o Nono - Tratado sobre a Ressurreição - Vingança do Salvador - Visão de Paulo.
Fontes: (Decreto de Gelásio).
O que seria dos protestantes se não fossem os bispos da Igreja Católica para definir um Cânon Bíblico, fico aqui imaginando como caberia toda essa quantidade de livros debaixo dos braços protestantes! Até por que não teria lógica São Paulo citar como inspirados livros que nem existiam na época como é o caso dos (4) Evangelhos, sendo assim, ao citar a palavra (TODO) São Paulo não estava diferenciando e muito menos separando tais livros como canônicos e apócrifos, pois  se fosse o caso São Paulo diria (Algumas Escrituras são Inspiradas), além de citar nome por nome de cada Escritura que seria inspirada.   
Bem, para os protestantes que ficam se gabando de que o seu (AT) foi feito pelos Judeus (chamam de tanach)no qual os protestantes acreditam serem os livros inspirados do (AT) por Deus, esse Cânon só foi definido no inicio do século (II) eu uma espécie de concilio chamado (sínodo de jamnia) realizado pelos mesmos fariseus que condenaram Jesus Cristo a morte, e mesmo assim esse conjunto de livros chamado (tanach)nunca foi a única fonte de fé Judaica, para retirar qualquer dúvida é só procurar (biblioteca judaica), lá qualquer protestante poderá observar que o (tanach)é só uma das fontes de fé Judaicas. Nem os Judeus que condenaram Jesus Cristo supostamente por contraria as Escrituras eram adeptos da SOLA SCRIPTURA
Fontes: (Mishná Judaico)
Na época o único lugar no mundo que possuía algum tipo de Aânon em cima das Escrituras Hebraicas, era a biblioteca de Alexandria, que por sinal esse Cânon foi rejeitado pelos protestantes, mas era usado pelos Apóstolos e pelos Essênios onde João Batista se formou.     
Bem, voltando ao assunto, podemos concluir que as Escrituras inspiradas por Deus, segundo os hebreus e os primeiros Cristãos eram milhares de Escrituras, só não eram divididas entre canônicas e apócrifas, mas todas elas eram grandes fontes de fé, porém não era a única fonte de fé que existiam na época, pois os Profetas e os Apóstolos também usavam a tradição oral junto das revelações. 
Agora eu vou provar que os apóstolos além das Escrituras, ensinavam a seguir a tradição oral e as revelações Divinas ao magistério da Igreja. 
  • Tradição oral.
  • Revelação ao magistério da igreja.
Tradição oral:
A tradição oral nada mais é do que a transmissão dos ensinamentos Divinos que não foram registrados em Escrituras, assim nós podemos observar esse ensinamento na carta de São Judas onde ele cita o conto da disputa do Anjo e do demônio pelo corpo de Moises, foi uma tradição oral milenar. Agora eu vou mostrar que os Apóstolos também ensinaram a guarda todos os ensinamentos escritos e transmitidos oralmente.
“Assim, pois, irmãos, estai firmes e conservai as tradições que vos foram ensinadas, seja por palavra, seja por epístola nossa. (II Tessalonicenses capítulo 2 verso 15, Bíblia versão João Ferreira de Almeida)
Esse pequeno versículo acabaria com qualquer heresia protestante sobre a desgraça da SOLA SCRIPTRA, São Paulo ordena que os Cristãos guardem o que foi escrito e o que transmitido oralmente. Podemos observar isso na carta de São Paulo a Timótio:
O que de mim ouviste em presença de muitas testemunhas, confia-o a homens fiéis que, por sua vez, sejam capazes de instruir a outros. (II Timótio capítulo 2 verso 2, Bíblia versão Ave Maria)
Por acaso São Paulo mandou Timótio registrar alguma coisa? Lógico que não; ele apenas manda transmitir o que ele próprio ouviu, se ele fosse adepto da SOLA SCRIPTURA hoje teríamos na Bíblia um livro Escrito por Timóito. Meu Deus! Será que Timótio não cumpriu a sua missão de transmitir o que ele ouviu?      
Revelações futuras ao magistério da Igreja:
As revelações futuras foi uma promessa do Nosso Senhor Jesus Cristo:
Muitas coisas ainda tenho a dizer-vos, mas não as podeis suportar agora. Quando vier o Paráclito, o Espírito da Verdade, ensinar-vos-á toda a verdade, porque não falará por si mesmo, mas dirá o que ouvir, e anunciar-vos-á as coisas que virão. (João capítulo 16 versos 12-13, Bíblia versão Ave Maria)
Bem, o pastor que prega o tal silencio de Deus com a humanidade depois da morte de São João, trabalha para satanás, nunca Jesus Cristo afirmou tal heresia, muito pelo contrario, Jesus Cristo afirmou que estaria conosco todos os dias e que o Espírito Santo iria continuar anunciando revelações futuras.
Colocarei uma situação clássica de uma revelação futura na era Apostólica.
Quando foi que Jesus Cristo aboliu a circuncisão?
“Eis que eu, Paulo, vos declaro: se vos circuncidardes, de nada vos servirá Cristo. (Gálatas capítulo 5 verso 2, Bíblia versão Ave Maria)
Não existe nada nos Evangelhos sobre Jesus Cristo abolir ou ir contra a circuncisão, tanto que ele mesmo era circuncidado, mas São Paulo pregou a abolição da circuncisão, fica a pergunta; com que autoridade São Paulo fez isso? A resposta é simples:
Graças ao magistério da Igreja a quem foi revelada.
Outro exemplo clássico:
Abolição do calendário festivo Judaico e dos seus hábitos alimentares.
“Ninguém, pois, vos critique por causa de comida ou bebida, ou espécies de festas ou de luas novas ou de sábados.”(Colossences capítulo 2 verso 16, Bíblia versão Ave Maria)
Ao ler os Evangelhos principalmente o de São João, vocês observarão que Jesus Cristo participava de todas as festas do calendário Judaico, fica a pergunta; qual autoridade São Paulo recebeu para abolir tais festas e costumes? Bem, Não existiria outra autoridade a não ser a revelação segundo o magistério da Igreja.
Por isso São Paulo afirma que a coluna que sustenta a verdade é a Igreja e não as Escrituras ou a Bíblia no qual ele nem tinha conhecimento que existiria um dia.
“Todavia, se eu tardar, quero que saibas como deves portar-te na casa de Deus, que é a Igreja de Deus vivo, coluna e sustentáculo da verdade. (I Timótio capítulo 3 verso 15, Bíblia versão Ave Maria
Ele afirma também que foi através da Igreja que principados e potestades puderam conhecer a sabedoria Divina, infelizmente ele não citou as Escrituras como autoridade máxima em questões doutrinaria, pelo contrario, ele cita a autoridade da Igreja.
“Assim, de ora em diante, as dominações e as potestades celestes podem conhecer, pela Igreja, a infinita diversidade da sabedoria divina,” (Efésios capítulo 3 verso 10, Bíblia versão Ave Maria)
Depois de todas essas provas Bíblicas de que jamais a SOLA SCRIPTURA foi usada como doutrina de fé entre Profetas e Apóstolos, ainda virá protestante com a mesma pergunta imbecil. (Onde está na Bíblia?)
Agora eu vou ensinar aos protestantes o real significado de (SOLA SCRIPTURA), pois nem eles sabem o que isso significa.
Acreditar somente no que está escrito não pode existir:
  • Tradições que não esteja escrita em um livro anterior ao posterior.
  • Livros onde não se sabe exatamente quem foram seus autores.
  • Se tratando da Bíblia que é um conjunto de livros, algum autor tem que relatar em um de seus livros a total quantidade desse Cânon, pois Escrituras existem milhares.
  • Não podem existir personagens ocultos como é o caso do Discípulo amado, pois só sabemos que se trata de São João por fontes extras Bíblicas.
  • Jamais poderia existir um ensinamento que contrariasse outro, como foi o caso de Jesus Cristo trabalhar no sábado e São Paulo abolir a circuncisão.
  • Em nenhum momento algum desses livros poderia afirmar o dever de ser guardar tudo o que foi escrito e também o que foi transmitido oralmente.
  • Tudo sobre esse livro teria que ser gerado apenas em torno do que estaria escrito nele próprio, como os autores dos evangelhos, pois em nenhum deles há algum registro de quem seria seus autores.
Após ter ensinado aos protestantes o real significado de (SOLA SCRIPTURA), irei mostrar que esses mesmo protestantes são obrigados a engolir a tradição Católica para acreditarem em sua (SOLA SCRIPTURA).
Peço ao leitor que observem esses versículos Bíblicos tão usados pelos pastores, com esses versículos eles defendem o circo teatral pentecostal.   
Tendo Jesus ressuscitado de manhã, no primeiro dia da semana apareceu primeiramente a Maria de Magdala, de quem tinha expulsado sete demônios. Foi ela noticiá-lo aos que estiveram com ele, os quais estavam aflitos e chorosos. Quando souberam que Jesus vivia e que ela o tinha visto, não quiseram acreditar. Mais tarde, ele apareceu sob outra forma a dois entre eles que iam para o campo. Eles foram anunciá-lo aos demais. Mas estes tampouco acreditaram. Por fim apareceu aos Onze, quando estavam sentados à mesa, e censurou-lhes a incredulidade e dureza de coração, por não acreditarem nos que o tinham visto ressuscitado. E disse-lhes: Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo, mas quem não crer será condenado.Estes milagres acompanharão os que crerem: expulsarão os demônios em meu nome, falarão novas línguas, manusearão serpentes e, se beberem algum veneno mortal, não lhes fará mal; imporão as mãos aos enfermos e eles ficarão curados. Depois que o Senhor Jesus lhes falou, foi levado ao céu e está sentado à direita de Deus.Os discípulos partiram e pregaram por toda parte. O Senhor cooperava com eles e confirmava a sua palavra com os milagres que a acompanhavam. (Marcos capítulo 16 verso do 9 ao 20, Bíblia versão Ave Maria   
Com esses versículos eles justificam as suas curas milagrosas e exorcismos satânicos, porém esses versículos é apenas uma tradição da Igreja Católica, não há menção deles nos manuscrito originais de São Marcos, pois o capitulo (16) termina no versículo (8) e não no versículo (20)
A prova disso está no (Codex Sinaiticos):

Bem, ates de pregar a SOLA SCRIPTURA nossos amigos protestantes tem que engolir primeiro a tradição Católica, o mesmo acontece com a historinha da mulher adúltera em João capítulo (8), não existe essa historinha nos manuscritos originais é só mais uma tradição da Igreja Católica.
Assim eu termino essa matéria sobre (A Morte da Sola Scriptura), volto a repetir, ninguém está questionando a inspiração das Escrituras e muito menos a sua utilidade, apenas que ser (Útil) nada tem a ver com ser único, colocamos todos os seus valores em seu devido lugar.



Autor: Cris Macabeus.


Referencias bibliográficas:
Bíblia editora Ave Maria versão dos Monges de Maredsous (Bélgica) e pelo centro Bíblico Católico.
Bíblia versão João Ferreira de Almeida.
Decreto de Gelásio.  
Mischá Judaico.
Codec Sinaiticus.

Fonte: http://macabeus.no.comunidades.net/